Pular para o conteúdo principal

PACIÊNCIA...


"Ao arar a terra para o cultivo, precisamos de paciência para arrancar todas as ervas daninhas imprestáveis e esperar, mesmo que o solo pareça estéril, até que as boas sementes escondidas possam germinar e se transformar em plantas. Precisamos de mais paciência ainda para limpar o campo de nossa consciência, coberto com as ervas daninhas dos apegos inúteis aos prazeres sensoriais, que são muito difíceis de serem erradicados. Porém, quando o campo da consciência estiver limpo e semeado com as sementes das boas qualidades, as plantas das nobres atividades brotarão, produzindo abundantemente os frutos da verdadeira felicidade" .Paramahansa Yogananda, em um "Para-gram"

Ao ler este ensinamento fiz a conexão com a carta Paciência, do tarô Zen do Osho. A carta nos faz refletir sobre o quanto impacientes e ansiosos nos tornamos, sempre querendo tudo para "ontem", como diz a expressão popular. A imagem nos mostra que ao longo de todas as fases da lua a mulher permanece paciente, sintonizada com os ciclos da natureza, pois sabe que esta é uma época para permanecer na passividade, deixando que a natureza siga o seu caminho.

A espera deveria ser nosso grande trunfo, pois somos seres conscientes e sabemos que a existência inteira espera pelo momento certo. Qual é o momento de florescer, e o de deixar que as folhas caiam? Esta resposta é naturalmente sentida por toda a natureza a nossa volta. Mas e nós, como saberemos responder? Nossas ações e reações apressadas, na ânsia amedrontadora pelo futuro incerto, nos esvazia da possibilidade de silenciar, de conectar (com o coração, o Ser), e escutar no presente as respostas mais profundas e verdadeiras.

Perdemos a reverência pelo silêncio e o tempo natural da espera, então o que deveria crescer dentro de nós acaba sendo atropelado - perdendo aos poucos sua autenticidade. A conhecida expressão "quem sabe faz a hora não espera acontecer" acaba sendo usada como argumento para os que não sabem esperar. Eu mesma fiz uso dela num passado remoto e teria uma atitude totalmente diferente no presente.

Não precisamos nos tornar preguiçosos e passivos diante da vida, mas respeitar os ciclos naturais é o grande aprendizado. "Em silêncio e à espera, alguma coisa dentro de você vai crescendo - o seu autêntico ser. Um dia ele salta e se transforma numa labareda, e a sua personalidade inteira é estilhaçada: você é um novo homem. E esse novo homem sabe o que é uma cerimônia, esse novo homem conhece os sumos eternos da vida".

Hari OM!
Fonte: Osho Zen: The Diamond Thunderbolt Chapter 10

Comentários

  1. Uma história das vidas anteriores de Buda mostra como a paciência pode ser aperfeiçoada. Um dia um rei em um passeio pela floresta com sua corte ficou furioso ao descobrir que, enquanto descansava na sombra, suas rainhas saíram para se sentar aos pés de um sábio que vivia em uma clareira próxima. O eremita solitário era Kshantivadin, o Professor da Paciência.

    Ouvindo que o sábio devia ser um mestre da paciência, o rei — raivosamente desafiando-o a preservar sua famosa qualidade — primeiro cortou ambos os braços de Kshantivadin, depois sua cabeça. Mas, apesar desse ataque assassino, o sábio verdadeiramente não sentiu nada além de amor e compaixão, rezando para que o rei e suas rainhas fossem seus primeiros discípulos quando ele mais tarde se tornasse Buda.

    ResponderExcluir
  2. A chave de tudo é o coração puro, nossa própria aspiração altruísta, nossa motivação pura. Suas ações e as dos outros podem não ser tão diferentes; a diferença está no coração, na motivação que o leva a agir. E é isso que faz toda a diferença no resultado de suas ações no mundo. Você precisa ter a pureza de seu próprio coração, a pureza de sua postura e intenções com relação aos outros e ao mundo à sua volta. Esta é a semente da paz interior.

    Chagdud Tulku Rinpoche, em “O Senhor da Dança – A Autobiografia de um Lama Tibetano”.

    ResponderExcluir
  3. Agradecida pelo compartilhar!
    Essa carta do Osho tem me acompanhado há 9 meses, desde o inicio da minha gestação, resgatando o significado mais amplo de toda essa transição de corpos, almas e mentes.
    Bonito é conectar esse grande ensinamento universal ao momento em que estamos vivendo e expressar através da mandala da comunicação nossa intenção!
    Que assim seja!
    Paciência e amor em 2011 e sempre :)

    Beijos,

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Om. Shanti, Shanti, Shanti.

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

O Silêncio...

Conhecer o silêncio
Permanecer no silêncio
Cultivar o Silêncio
Honrar o silêncio
Respeitar o silêncio
Celebrar o silêncio
O silêncio é você.
...
No silêncio, transformações profundas acontecem.

Hari OM!