Pular para o conteúdo principal

Direções para Vinyasa Krama...

Dentro de minha compreensão bem inicial, percebi a importância de algumas direções para uma atitude interior (mais presente) não só na prática de hatha yoga, mas na vida diária, são elas:
prayatha - é o esforço de vida, ou seja, a respiração;
saithilya - leves, fluidas e longas respirações;
sthira - firmeza, constância;
sukha - conforto.

Eles são estabelecidos nois dois yoga sutras de Patanjali que falam da prática:
II - 46 - STHIRA SUKHAM ASANAM.
Asana é uma postura fime e confortável.
Talvez pareça fácil, mas em que posições estamos realmente confortáveis e firmes em nossa vida?

II - PRAYATNA SAITHILYANANTA SAMATTIBHYAM.

Pela diminuição da tendência natural à intranqüilidade e pela meditação sobre o infinito, tem-se o domínio da postura.

Alguns professores interpretam como: Obtendo um bom fôlego e concentrando a atenção sobre a respiração, a perfeição da postura é obtida.

Então...Tendo a consciência na respiração, a atenção no presente de uma auto-observação permanente (como nos diz Thich Nhât Hanh), estaremos mais perto do conforto e da constância nas posições, posturas, na prática e no cotidiano.

Faça a sua interpretação, ela será muito bem-vinda. Esse espaço é nosso!

Hari OM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

Uma história inspiradora...

Há muito tempo atrás, no tempo em que os homens experienciavam a beleza, sensíveis as coisas vivas na Terra - a fala, a visão, a audição, o sêmen, a audição, a mente e a respiração – discursavam entre si para provar qual deles era o mais importante. Mas sem conseguir resolver o dilema, foram até Brahma e perguntaram:

- Brahma, ó grande criador, dentre nós, qual é o mais importante?
Brahma então respondeu:
-O mais importante é aquele cujo afastamento faça o corpo piorar.
No dia seguinte todos decidiram fazer a experiência ao refletirem sobre as palavras de Brahma. Cada um se afastaria por um ano para que os outros pudessem avaliar o efeito de sua ausência. A Fala foi a primeira a se afastar, e ao voltar após um ano perguntou:
- Como vocês viveram sem mim?
Os outros responderam:
- Como os mudos: não falando com a língua, mas vendo com os olhos, ouvindo com os ouvidos, respirando com a respiração, conhecendo com a mente, gerando com o sêmem. Assim vivemos. E a língua retornou ao seu lugar.