Pular para o conteúdo principal

PERCEPÇÃO INTERNA E CONSCIENTE


Foto de um templo no Vale do Capão, na Chapada Diamantina.

"Se a intenção é boa, os níveis e caminhos são bons.
Se a intenção é ruim, os níveis e caminhos são ruins.
Já que tudo depende das intenções,
Sempre garanta que elas sejam positivas".

Patrul Rinpoche, em “Words of My Perfect Teacher”.

Parece simples a manutenção de boas intenções. Quando apoiada por um coração puro e uma mente consciente pode ser mais fácil. O desafio é exatamente esse: como controlar os pensamentos e purificar as emoções? O Hatha Yoga ensina através do corpo a aquietar as flutuações mentais, trazendo foco para a respiração, ao controlar a respiração percebe-se um estado mental harmonioso. Quando isso acontece com a mente, as emoções tabém seguem o fluxo natural e os ritmos internos se aquietam. É possível então perceber a energia divina que temos lá dentro.

Mas falando assim pode parecer algo superficial. Nada disso, é preciso mergulhar profundo. Silenciar, escutar, transformar e seguir aprofundando um pouquinho mais a cada dia. Tudo isso como em Vinyasa Krama, um passo de cada vez, mas com direção, foco, alinhado com seu propósito, diria seu dharma. Meditar, meditar, meditar!

Seguir rumo a percepção de si mesmo, trazendo a consciência para níveis cada vez mais internos, afastando-se das percepções externas e influências da mente, é o caminho para intenções verdadeiramente boas, como nos sugere o budismo nas palavras de Patrul Rinpoche.

Finalizo esta reflexão com o Yoga Sutra de Patanjali (Páda II, sutras 15, 26, 28):

"Tudo o que provém discernimento (viveka) é sofrimento (dukham), mas que através da prática sistemática do yoga, a luz do conhecimento (jñana) ilumina o discernimento (viveka) que irá nos conduzir à liberdade (moksha)".

Hari OM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

O Silêncio...

Conhecer o silêncio
Permanecer no silêncio
Cultivar o Silêncio
Honrar o silêncio
Respeitar o silêncio
Celebrar o silêncio
O silêncio é você.
...
No silêncio, transformações profundas acontecem.

Hari OM!