Pular para o conteúdo principal

Shivaratri

Em templos de Shiva na Índia e em todo o mundo, na noite que antecede a lua nova de fevereiro/março, devotos passam o dia dedicando-se a práticas espirituais - é o Shivaratri ou Mahashivaratri. O dia se inicia antes do nascer do sol com o banho nas murtis (estátuas) de Shiva e suas representações (como o lingam), canto de mantras, meditação, estudo das escrituras, jejum, ritual do fogo, e muito seva (serviço desinteressado) para garantir um dia de muita ritualização e celebração. Em minhas idas aos templos sagrados da Índia fiquei "viciada" em beber a água do banho das murtis e comer o alimento preparado de forma especial e oferecido ao templo. Muita energia!!

Este dia significa auspiciosidade e, por isso, é inteiramente dedicado à espiritualidade, ao mergulho no ser, uma "energia extra" para a transformação de padrões negativos, para o despertar da consciência rumo à liberação (moksha). E, embora a tradição venha do Oriente, ela oferece a qualquer praticante sincero clareza para seguir no caminho do coração. Você pode ter a resolução/intenção de aprofundar sua compreensão e relação com seu interior. É uma oportunidade também de entregar para aquele que destrói a ignorância e os obstáculos - o Grande Senhor Shiva - tudo o que nos impede de fluir com o Universo, de vivenciarmos o presente, o amor, a beleza, a conexão com o Ser - a felicidade que já somos.

Diz-se que nesta auspiciosa data, as orações e mantras são ampliados 10.000 vezes. E a potência vem a partir de uma abertura, da passagem para a lua nova, a ausência da lua, o vazio, e a expansão para o universal, para a Unidade.

Esse vazio é o mesmo que acontece entre o inspirar e o exalar, entre uma respiração e outra, é o espaço entre, onde expandimos a percepção de nossa essência. Quando praticamos as posturas com a consciência da respiração, direcionando cada passo em direção à perfeição, estamos intencionando este estado de percepção mais sutil, um espaço-tempo em que é possível despertar e sentir a união com o Todo.

Abaixo a letra e um vídeo com o Mahamrityunjaya Mantra para você escutar, aprender e repetir, se desejar, nesta data auspiciosa.

Mahamrityaunjaya Mantra (maha-mrityun-jaya) é um dos mais potentes e antigos mantras em sânscrito. Ele é dedicado ao despertar individual, à libertação e ao crescimento espiritual de toda humanidade. É uma "oração" para a iluminação. Uma prática para purificar os karmas da alma em um nível profundo e bastante benéfica para a saúde mental, emocional e física.

Om Tryambakam yajamahe
sugandhim pushhtivardhanam
Urvarukamiva bandhanan
mrityor mukshiya maamritath


“Nós oferecemos reverências àquele que possui fragrância e três olhos, o Senhor Shiva, que nos abençoa com prosperidade. Que ele nos liberte da limitação da morte, assim como a fruta rasteira, ao amadurecer, separa-se naturalmente do ramo. Por favor, não permita que nos desviemos do caminho da imortalidade.”



Hari OM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

O Silêncio...

Conhecer o silêncio
Permanecer no silêncio
Cultivar o Silêncio
Honrar o silêncio
Respeitar o silêncio
Celebrar o silêncio
O silêncio é você.
...
No silêncio, transformações profundas acontecem.

Hari OM!