Pular para o conteúdo principal

ENTUSIASMO...NÃO NECESSARIAMENTE SORRRINDO...


Reflexões e mais reflexões...Questionam-me por e-mail como essa tal "felicidade" pode estar o tempo todo presente se a vida está caótica e repleta de desafios. Dificilmente alguém está alegre o tempo inteiro, sorrindo, extrovertido. Mesmo quando introspectivo, é possível estar entusiasmado, inteiro, em estado de contentamento. A diferença é que experimentando o mergulho no Si mesmo (meditando, praticando Hatha Yoga , Tai-chi, etc), surge a compreensão de que, apesar das adversidades, estando conectado com a "fonte", existe a sabedoria para seguir adiante.

Achei interessante essa foto que escolhi espontaneamente.Tenho um gato zen que se chama Caramelo. Ele ama mantras, medita ao escutá-los, brinca com meus filhos, mas está sempre neste estado pacífico, sereno e "sério", como na foto. E, não necessariamente, descontente. Seu estado de contentamento, de entusiasmo é percebido, mesmo nas horas em que ele demonstra insatisfação com algo. A adolescente da foto também é expansiva, alegre, mas tem seus momentos de lágrimas, desconforto, tensão (os hormônios que o digam!). Nem por isso ela perde o entusiasmo, a espontaneidade, a criatividade, a conexão com sua Graça. É uma grande artista!

Como já coloquei em outros textos aqui no blog, a palavra entusiasmo vem do grego e quer dizer "em Deus", é sentir-se "nutrido" e vibrando na energia divina que a tudo permeia. Uma experiência que precisa ser vivenciada, não dá para convencer ninguém deste estado com palavras.

Mas também sei que as pessoas entusiasmadas contagiam com sua expressão amorosa, energia, sua luz, tudo a volta. mas é preciso estar aberto, virando na intenção de ser contagiado. Risos! Observo que as pessoas que ficam muito no entendimento "mental", têm mais dificuldade de entregar-se, de sentir, de mergulhar nas profundezas e perceber que lá dentro existe sim alegria, tristeza, saudade...Eu mesma me pego com os olhos cheios de lágrimas, se isso fosse papel as letras estariam manchadas, lembrando de momentos especiais com meu amado pai. Como ele faz falta!

Mas essa emoção é também repleta de contentamento, de reverência, de consciência. No momento seguinte às sensações, emoções, o corpo se expressa, na exalação desafogo alguns nós que ficaram e a inspiração profunda me leva para espaços de puro entusiasmo. Em momentos assim monto aulas para os alunos, escrevo poemas, desenho belas flores de lótus, ensaio novos projetos. E a energia paterna bem ali, vivenciando todo o processo :)*.

Tem uma frase do grande mestre José Hermógenes que fala que tudo o que fazemos para nos aprimorarmos é na verdade para sermos melhores para os outros, para o mundo a nossa volta. E completo dizendo que só levamos desta vida o amor que recebemos e só deixamos verdadeiramente o amor que compartilhamos.

Hari OM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

Uma história inspiradora...

Há muito tempo atrás, no tempo em que os homens experienciavam a beleza, sensíveis as coisas vivas na Terra - a fala, a visão, a audição, o sêmen, a audição, a mente e a respiração – discursavam entre si para provar qual deles era o mais importante. Mas sem conseguir resolver o dilema, foram até Brahma e perguntaram:

- Brahma, ó grande criador, dentre nós, qual é o mais importante?
Brahma então respondeu:
-O mais importante é aquele cujo afastamento faça o corpo piorar.
No dia seguinte todos decidiram fazer a experiência ao refletirem sobre as palavras de Brahma. Cada um se afastaria por um ano para que os outros pudessem avaliar o efeito de sua ausência. A Fala foi a primeira a se afastar, e ao voltar após um ano perguntou:
- Como vocês viveram sem mim?
Os outros responderam:
- Como os mudos: não falando com a língua, mas vendo com os olhos, ouvindo com os ouvidos, respirando com a respiração, conhecendo com a mente, gerando com o sêmem. Assim vivemos. E a língua retornou ao seu lugar.