Pular para o conteúdo principal

Reconhecendo-se no interior



"Fecha teus olhos, veja todo o espaço como se este tivesse sido absorvido pelo interior da tua cabeça, leva teu olhar para seu interior e lá, vê a espacialidade da tua verdadeira natureza". Vijnana Bhairava Tantra

Você já deve ter escutado falar, lido ou está mesmo é sentindo que há algo diferente acontecendo. Muitas pessoas têm compartilhado que estão sob tensão, ou uma energia forte internamente, outras experimentam mais agitação, desequilíbrio, entre outras. Para os astrólogos, estamos vivendo um momento real de “tensão planetária” – o Stelium de planetas em Áries - Urano, Vênus, Lilith, Mercúrio, Marte e Júpiter, estão todos no signo de Áries.

Se por um lado existe toda uma tensão, de outro há um imenso potencial, uma energia que é capaz de grandes transformações. E como diz um grande ser e astrólogo, Hector Othon, “os planetas em seus ciclos oferecem oportunidades especiais para retificar o rumo da vida, nos abençoam com energia, entusiasmo, ardor para conseguirmos vencer desafios”.

É claro que não é só se deixar levar pela energia, é preciso muita coragem e disciplina para tamanha transformação que vem com ela. Parece-me que estamos todos sendo impulsionados a entrar em contato com o poder interior e agir de forma mais consciente – presença no aqui e agora full time!

Tenho escutado muitos relatos de alunos a respeito de processos internos profundos. Uma aluna compartilhou que estranhou a sensação de medo e insegurança que nunca tinha na postura de cabeça para baixo, o Shirshasana. Realmente ela sempre entra na postura com facilidade e permanece sem nem mesmo a parede por perto. Depois de ler um texto no blog do Othon, fiz a conexão, pode ser a influência planetária, pois nosso corpo-mente-coração está totalmente ligado aos movimentos do planeta.

Outra aluna disse que ela voltou pro Yoga porque não estava aguentando as pressões, se, segundo ela, "foi uma questão de sobrevivência", pois sem a prática não daria pra dar conta de tudo. Sem falar nos relatos de processos internos desafiadores que muitos estão vivendo. O fato é que tudo neste momento vem com mais força. E é preciso muita PRESENÇA para entrar em contato com o que está acontecendo e não se deixar desestruturar, desequilibrar, estressar, entrar em pânico ou mesmo deprimir.

O Hatha Yoga nos ensina o tempo todo a entrar em contato com o mundo interno. Ao trabalhar o corpo físico de forma consciente e presente, estamos trabalhando os corpos/camadas mais sutis. Segundo os Upanishads, os koshas (camadas) começam na periferia do corpo e movem-se em direção ao centro. São eles: annamaya kosha – o corpo físico; pranamaya kosha – o corpo da energia vital, o prana (respiração); manomaya kosha – o corpo mental; vijanamaya kosha – o corpo da sabedoria; anandamaya kosha – o corpo da bem-aventurança.

Mas por que falar disso agora no meio deste turbilhão, desta energia toda? Respira profundo, expande abdômen, tórax, peito, e exala longamente todo o ar de seus pulmões. Faça isso de 3 a 5 vezes e, se sentir necessidade, exale emitindo um “aaaaaaaahhhhh”. Depois volte a atenção para dentro e perceba os ritmos internos, os fluxos de energia, a pulsação do coração. Retorne devagar a abrir os olhos e sinta o que aconteceu.

Quando temos a consciência das camadas mais sutis, a prática se torna uma possibilidade de nos conhecermos, de percebermos “o que está pegando”, refletir sobre que rumo tomar, de como direcionar nossa energia para oo que realmente importa, entre outras coisas. Ao observar lá dentro, o interior, estaremos mais “preparados” para lidar com os desafios que surgirem.

No Virabhadrasana, postura do guerreiro, me veio neste momento por causa de Áries e Marte (deus da guerra), ao trabalhar a postura, todo um alinhamento interno se faz. Começando por uma base firme, a fundação (os pés); seguindo pelos encaixes do quadril, escápulas e percepção dos fluxos em espiral, energia orgânica (prana); logo vem o alongamento da coluna, atuando no sistema nervoso; a abertura do peito, expansão e conexão com o coração; tudo isso com presença no aqui e agora, respiração consciente. Essa é um resumo das muitas possibilidades.

Entre em contato com toda a sua força, coragem, perseverança, beleza, criatividade, intuição – seja o ser pacífico, exercite a paciência, a ciência da paz; amoroso, veja a expressão divina em todos e tudo; e verdadeiro, tenha coragem para ser autêntico e expressar-se livre de egoísmo. Afinal, somos todos UM.

Vou ficando por aqui, pois como sou ariana e tenho uns quatro planetinhas junto ao meu Sol em Áries, estou precisando e muito respirar profundo, praticar yoga, dançar, cantar mantras, meditar...Enfim, alimentar a alma que está em plena expansão.

Ahow!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

O Silêncio...

Conhecer o silêncio
Permanecer no silêncio
Cultivar o Silêncio
Honrar o silêncio
Respeitar o silêncio
Celebrar o silêncio
O silêncio é você.
...
No silêncio, transformações profundas acontecem.

Hari OM!