Pular para o conteúdo principal

INDEPENDÊNCIA

"Ajuda verdadeira é dar suporte de tal modo que as pessoas fiquem independentes. Pense naquelas pessoas que você está dando algum tipo de apoio ou suporte. Cheque e veja se esta ajuda está tornando-os independentes ou dependentes de você. Lembre-se sempre que a meta em ajudar é a de tornar as pessoas fortes e independentes para que eles possam dar suporte a outros também. Ajudar é tornar outros fortes como você." BK

Essas palavras têm tudo a ver com o que acredito e coloco em prática com meus filhos, alunos e os que me pedem ajuda. Aquele velho ditado de que é melhor ensinar a pescar do que dar o peixe! E é tão especial quando aprendemos algo e aplicamos em nossa vida. É como se fosse uma "injeção de ânimo", nos sentimos mais fortes, mais independentes, mais "divinos". Converso muito sobre o tema com Anna Clara, 13, e João Pedro, 10. Sempre mostro pra eles que existe um caminho mais fácil, que é alguém fazer por eles ou o fazer "superficial". Mas que quando tentamos conscientemente, aprendendo o como fazer, com todos os desafios ou as dificuldades impostas (e olha que são muitas em alguns casos!), aquilo torna-se verdadeiramente apreendido por nosso corpo, mente e coração. Fica fácil!

Dois episódios aconteceram neste último feriado. Eu e os pequenos fomos andar de bicicleta e há tempos que eles não sabiam o que era isso, ainda mais com uma bicicleta grande. Caíram, levantaram, dei apoio, ensinei a pedalar mais presente, com mais coragem e atenção...Seguiram em frente e pedalaram sozinhos do Leme ao Leblon. Na volta nenhum tombo! O outro foi no mar. João tomou seu primeiro caixote na praia. Ficou bem triste, chorou, dei colo, conversei, falei que no Yoga só perdemos o medo de fazer invertida quando caímos e vemos que nada acontece de grave, etc. Resultado, após alguns minutos já estava o peixe no mar, mais seguro, mais atento e feliz!

Hari Om!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

O Silêncio...

Conhecer o silêncio
Permanecer no silêncio
Cultivar o Silêncio
Honrar o silêncio
Respeitar o silêncio
Celebrar o silêncio
O silêncio é você.
...
No silêncio, transformações profundas acontecem.

Hari OM!