Pular para o conteúdo principal

CINE GAIA - JARDIM BOTÂNICO

Imagem do documentário norueguês "Campos de Deméter".

Serão exibidos 47 filmes de 19 países dos 5 continentes, com diferentes abordagens da temática ambiental, distribuídos ao longo dos 10 dias de evento, de 31/10 a 09/11. O ponto em comum a todos eles: mostram a relação entre homem e natureza, um equilíbrio frágil e fonte de preocupações para a geração atual e as que virão.

Para a Mostra Competitiva, foram selecionadas 39 produções que serão apresentadas duas vezes durante o festival, com uma projeção no Jardim Botânico e outra no Centro Cultural dos Correios. Em cada sessão, o público receberá uma cédula de voto para avaliar os filmes assistidos. Filmes de denúncia, como "O Mundo Segundo Monsanto", de esperança (A Via Orgânica) ou ceticismo (Godofredo), ou ainda de poesia (Sakura) e animação (Bartô), todos juntos montam um quadro colorido do planeta.

Dentre os filmes inscritos, 7 foram selecionados para a mostra Hors Concours. São filmes relevantes que não se encaixaram no perfil competitivo. É o caso das séries austríacas "Europa: uma História Natural" e "Engenharia da Natureza", que cumprem um papel importante de educação ambiental. Há também homenagens a personagens como José Lutzenberger, um dos primeiros ativistas ambientais do Brasil, e "Folha Seca", um dedicado jardineiro do Jardim Botânico. O diretor Octávio Bezerra estará presente na projeção de seu "A Dívida da Vida", de 1993, e o acidente do Césio em Goiânia é lembrado em "O Pesadelo é Azul".

Há ainda programação especialmente montada para crianças e jovens, além de duas sessões especiais com audiodescrição para deficientes visuais. E ainda discussões, palestras, exposição de fotos, atividades paralelas enriquecendo a experiência do Cine Gaia.

Uma comemoração e tanto do Bicentenário do Jardim Botânico! E um presente para a cidade do Rio de Janeiro. Entrada franca em todas as atividades.

Clique aqui e confira a programação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

INSPIRAÇÃO...

O mestre iogue B. K. S. Iyengar diz que a prática de pranayama retira as nuvens que encobrem a consciência, clareia a visão e nos ilumina para que possamos enxergar as coisas como elas realmente são - e assim estarmos mais preparados para fazer as escolhas certas.

Mais do que aprender diversos exercícios respiratórios (pranayamas), com as retenções, narinas alternadas, despertar do agni (fogo do manipura chakra), é importante focarmos a prática na respiração profunda e lenta. Perceber os pontos de tensão do corpo que impedem o inspirar e exalar com qualidade. É identificar a presença de emoções e pensamentos (memórias) que nos aprisionam, provocam medo, contração, e até mesmo rigidez, pois elas impedem o livre fluir de prana - energia orgânica - no corpo através dos nadis (condutos sutis para a filosofia/ciência do Yoga).

A respiração é uma entidade, algo de dentro pra fora, uma conexão entre ser e mente, ser e corpo, ser e coração (alma). Quando inspiramos, é de dentro que vem a inten…

Diga não aos agrotóxicos!

Diga sim apenas aos orgânicos, assim acabamos com esse assassinato em massa realizado pelos grandes produtores que não seguem nenhum dos yamas (código de conduta yóguica): ahimsa (não-violência), satya (veracidade), asteya (honestidade), arvajan (retidão), sauchan (pureza de pensamentos, emoções, ações).

Hari OM!

O Silêncio...

Conhecer o silêncio
Permanecer no silêncio
Cultivar o Silêncio
Honrar o silêncio
Respeitar o silêncio
Celebrar o silêncio
O silêncio é você.
...
No silêncio, transformações profundas acontecem.

Hari OM!